fbpx

Aviso

There is no category chosen or category doesn't contain any items

Lucro da Greenvolt aumenta 17% para 1,2 milhões de euros no 1.º semestre

Escrito por
Partilhar
Lucro da Greenvolt aumenta 17% para 1,2 milhões de euros no 1.º semestre Foto © ON Centro

 

“Tendo em conta a evolução das várias unidades de negócio, as receitas totais da Greenvolt atingiram os 113,3 milhões de euros (+170%) no primeiro semestre e o EBITDA [resultado antes de impostos, juros, depreciações e amortizações] ascendeu a 36,8 milhões (+248%)”, referiu o grupo.

 
Os lucros atribuíveis à Greenvolt aumentaram 17% no primeiro semestre deste ano, para 1,2 milhões de euros, tendo as receitas quase triplicado, indicou a empresa, em comunicado este terça-feira, 6 de setembro.

“Tendo em conta a evolução das várias unidades de negócio, as receitas totais da Greenvolt atingiram os 113,3 milhões de euros (+170%) no primeiro semestre e o EBITDA [resultado antes de impostos, juros, depreciações e amortizações] ascendeu a 36,8 milhões (+248%)”, referiu o grupo.

A empresa explicou que o resultado "reflete ainda o impacto da fase de aceleração dos segmentos ‘utility scale’ e geração distribuída”.

Assim, “em termos operacionais, os resultados da Greenvolt no segundo trimestre de 2022, ficaram uma vez mais marcados pelo bom desempenho das centrais de biomassa residual, bem como pelo reforço do investimento nos segmentos de maior crescimento, como sejam a geração distribuída e o ‘utility scale’”, sendo que “durante o período em análise se realizou a paragem programada de manutenção da central de Tilbury (TGP), a qual ascendeu a 18 dias, o que teve um impacto relevante neste trimestre”.

A empresa revelou ainda que a sua dívida financeira, no final de junho de 2022 “ascendia a 290,1 milhões de euros, sendo que as linhas de caixa e equivalentes eram de 279,3 milhões”, tendo, no segundo trimestre de 2022, emitido dois empréstimos obrigacionistas “no total de 85 milhões de euros”. 

“Já neste terceiro trimestre, a Greenvolt concluiu com sucesso um aumento de capital de 100 milhões de euros, em julho, e em setembro a dívida da GreenVolt recebeu o seu primeiro 'rating', de BBB-, com Outlook Estável, atribuído pela EthiFinance”, recordou.

A empresa opera “no segmento da produção de energia elétrica através de biomassa exclusivamente proveniente de resíduos”, sendo que “em Portugal, detém cinco centrais de biomassa residual florestal, com uma capacidade instalada de cerca de 100 MW” e no Reino Unido, conta com “uma participação maioritária (51%) na TGP, uma central com cerca de 42 MW que utiliza exclusivamente resíduos lenhosos urbanos”. Neste segmento, a Greenvolt registou, em termos semestrais as receitas acumuladas do segmento de 90 milhões de euros, o que significa um aumento de 115% face ao mesmo período do ano anterior.

Por outro lado, no segmento de energia renovável solar fotovoltaica e eólica, em que está presente “mais a montante na cadeia de valor” na “fase de desenvolvimento e promoção” através da “V-Ridium, SEO e outras, e da MaxSolar (detida em 35%)”, a Greenvolt atingiu, em termos semestrais, receitas totais de 8,3 milhões de euros, indicou.

O grupo marca ainda presença “no segmento estratégico de geração renovável distribuída nos segmentos residencial e de comércio e indústria (C&I), em Portugal e Espanha”, tendo, nesta área receitas semestrais que se fixaram em 15 milhões de euros.

“Os resultados do primeiro semestre de 2022 são alicerçados na unidade de negócio de biomassa residual e no reforço do investimento nas áreas com maior potencial de crescimento, como sejam o desenvolvimento de projetos solares fotovoltaicos e eólicos, bem como a geração distribuída”, disse o presidente executivo (CEO) da empresa, João Manso Neto, citado na mesma nota.

“Já no decorrer do terceiro trimestre, a Greenvolt concretizou dois marcos muito importantes”, indicou, recordando a “operação de aumento de capital de 100 milhões de euros, que lhe permitirá acelerar o seu plano de crescimento" e a formalização “da primeira operação de venda de ativos solares e eólicos, na Polónia, a uma das maiores ‘utilities’ europeias, a Iberdrola, o que, também em termos de resultados financeiros, abre boas perspetivas para a segunda metade de 2022”, destacou.

 

PUBLICIDADE





 

Siga as notícias da Região Centro no FacebookInstagramTwitter e Youtube

 

 

    

Partilhar

Deixe um comentário

Últimos artigos

 

Facebook

em Arquivo


Sobre nós

A Rede ON CENTRO é uma rede de comunicação e valorização territorial, que visa promover a região Centro, junto do público nacional e estrangeiro.
Aqui poderá aceder a informação da maior região do país, composta pelos distritos de Aveiro, Castelo Branco, Coimbra, Guarda, Leiria e Viseu.

[Saber+]

 


Contactos

Morada:
Rua Simões de Castro, nº 170, 5º B 3000-387 Coimbra

Email:
geral@on-centro.pt
agenda@on-centro.pt

Telefone:
+351 239 821 655 | +351 933 075 555

 

 

Newsletter

Fique a par das novidades da região.

 

Subscrever


Redes Sociais

Other languages

ptzh-CNenfrdeitjakorues