fbpx

Aviso

There is no category chosen or category doesn't contain any items

Um terço das empresas espera uma diminuição das vendas no 4.º trimestre

Escrito por
Partilhar
Um terço das empresas espera uma diminuição das vendas no 4.º trimestre Foto © ON Centro

 

Estas são algumas das conclusões do 21.º inquérito feito no âmbito do "Projeto Sinais Vitais", desenvolvido pela CIP - Confederação Empresarial de Portugal, em parceria com o Management & Marketing FutureCast Lab do ISCTE, que contou com uma amostra de 245 empresas, das quais 45% são do setor da indústria e energia, os outros serviços representam 27% e o comércio 10%.

 

Mais de um terço (34%) das empresas espera uma quebra de vendas no último trimestre e 79% considera que a resposta à crise passa pela redução de impostos sobre eletricidade, gás e combustíveis líquidos, segundo estudo da CIP agora divulgado.

Estas são algumas das conclusões do 21.º inquérito feito no âmbito do "Projeto Sinais Vitais", desenvolvido pela CIP - Confederação Empresarial de Portugal, em parceria com o Management & Marketing FutureCast Lab do ISCTE, que contou com uma amostra de 245 empresas, das quais 45% são do setor da indústria e energia, os outros serviços representam 27% e o comércio 10%.

Este inquérito foi realizado entre 05 e 15 de setembro, ou seja, terminou no dia em que foram apresentadas as medidas do Governo de apoio às empresas.

Quando questionadas sobre a previsão de vendas e prestação de serviços no quarto trimestre deste ano, face ao período homólogo de 2019 (antes da pandemia), a expectativa de vendas das empresas inquiridas "é negativa", com 28% a esperarem um aumento, contra 34% a esperarem uma diminuição.

"Esta perspetiva é sobretudo influenciada pelas expectativas negativas nas pequenas empresas, com 32% a diminuírem e, sobretudo, as micro empresas, com 42% a diminuírem", refere o estudo.

A amostra é constituída em 77% por micro e pequenas empresas, sendo que 6% são grandes empresas.

As empresas que esperam aumentar as vendas (28%) têm como expectativa um aumento médio de 26% do seu volume de negócios e as que esperam diminuir (34%) estimam uma queda "em média de 24%". As restantes (38%) empresas esperam manter a faturação.

Relativamente à evolução dos recursos humanos, "em todas as empresas – grandes, médias, pequenas e micro existe uma expectativa maioritária de manutenção do número de postos de trabalho e um maior número de empresas que espera aumentar, face às que esperam diminuir".

Nas grandes e médias empresas a expectativa de um crescimento do número de postos de trabalho "é superior à média nacional, o que está de acordo com as expectativas de crescimento de vendas".

Ou seja, 69% das empresas espera manter o número de colaboradores no futuro próximo (quarto trimestre), enquanto os 13% de empresas que esperam diminuir os recursos humanos esperam uma queda média de 18% e os que esperam aumentar estimam um acréscimo médio de 14%.

"Em termos de investimento, as expectativas para 2022 melhoraram ligeiramente em relação às expectativas que tinham sido registadas no início do ano" e "neste momento temos em termos médios que 28% das empresas pensa em investir mais do que em 2019", indica o estudo.

As expectativas de diminuição dos investimentos registam-se essencialmente nas pequenas e nas micro, "com valores acima da média (25% e 23%, respetivamente)".

Quase metade (49%) das empresas inquiridas esperam manter o investimento, enquanto 23% tem como expectativa a diminuição (uma queda média de 45%, contra 41% que se registava em julho).

Já as que esperam aumentar o investimento (28%) preveem um aumento médio de 39%, o que representa um abrandamento face aos 43% de julho.

No que respeita à previsão da evolução de custos, "a expectativa dos empresários e gestores de topo das empresas é a de haver aumentos nos custos em 78% dos casos, sendo que em 47% serão muito acentuados", e no que diz respeito à evolução dos preços, metade dos inquiridos referem que "irão manter os seus preços, sendo que em 22% dos casos terão de fazer aumentos mais acentuados dos seus preços".

Já sobre as medidas do Governo para mitigar o aumento de custos, a maioria (79%) "considera muito adequada e adequada a redução de impostos sobre a eletricidade, gás e combustíveis líquidos".

A redução da TSU e do IVA foram apontadas por 74% e 73%, respetivamente, das empresas inquiridas.

Mais de metade (59%) consideram "muito adequado ou adequado "existir compensação financeira às empresas intensivas em energia".

Em 87% dos casos as sugestões de política económica mais valorizadas foram a revisão do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR), em 86% a redução do IRC; em 80% a suspensão do pagamento por conta do IRC e em 79% a redução dos prazos de pagamento das entidades públicas.

"Para enfrentar o problema da energia, 89% das empresas considera muito adequado e adequado promover um plano de promoção e apoio à instalação de painéis solares nas empresas", adianta o estudo.

Segundo o estudo, 71% "consideram muito adequado e adequado subsidiar o preço industrial da eletricidade e gás natural" e 60% "consideram muito adequado e adequado reduzir a tributação dos carros elétricos e promover a aquisição agregada de energia no MIBEL [Mercado Ibérico da Eletricidade] ".

Cerca de 40% referem como "muito adequado ou adequado a reativação das centrais a carvão", aponta o estudo.

 

PUBLICIDADE





 

Siga as notícias da Região Centro no FacebookInstagramTwitter e Youtube

 

 

    

 

 

Partilhar

Mídia

Deixe um comentário

Últimos artigos

 

Facebook

em Arquivo


Sobre nós

A Rede ON CENTRO é uma rede de comunicação e valorização territorial, que visa promover a região Centro, junto do público nacional e estrangeiro.
Aqui poderá aceder a informação da maior região do país, composta pelos distritos de Aveiro, Castelo Branco, Coimbra, Guarda, Leiria e Viseu.

[Saber+]

 


Contactos

Morada:
Rua Simões de Castro, nº 170, 5º B 3000-387 Coimbra

Email:
geral@on-centro.pt
agenda@on-centro.pt

Telefone:
+351 239 821 655 | +351 933 075 555

 

 

Newsletter

Fique a par das novidades da região.

 

Subscrever


Redes Sociais

Other languages

ptzh-CNenfrdeitjakorues