fbpx
domingo, 20 agosto 2023 00:51

Pera rocha com metade da produção; diz associação

Pera rocha com metade da produção; diz associação Foto © ON Centro

 

“Podemos estar a falar de uma produção abaixo das 100 mil toneladas, o que é dramático para a produção e coloca em causa a viabilidade económica da fileira”, afirma Filipe Ribeiro, presidente da Associação Nacional dos Produtores de Pera Rocha.

 

Aprodução de pera rocha deste ano, cuja colheita começa dentro de duas semanas, poderá ser, pelo segundo ano consecutivo, metade do que num ano normal devido à seca e às alterações climáticas, estima a associação do setor.

“Podemos estar a falar de uma produção abaixo das 100 mil toneladas, o que é dramático para a produção e coloca em causa a viabilidade económica da fileira”, afirmou à agência Lusa Filipe Ribeiro, presidente da Associação Nacional dos Produtores de Pera Rocha (ANP), que representa o setor.

Apesar de as previsões iniciais para a colheita serem de uma produção acima da da anterior, “os últimos dias quentes” trouxeram quebras de 20%, deixando a produção aquém da anterior.

Em qualquer dos cenários, apontou a associação, seria sempre uma produção “baixa”, com “menos de metade da produção face a um ano normal”, com 200 mil toneladas de fruta colhidas.

“O clima contribuiu muito para o problema. Tivemos meses muito chuvosos, depois temperaturas amenas no inverno, o que não é muito bom para a fruta, no período da floração, tivemos calor excessivo e agora no fim da produção falta de água e temperaturas anormalmente altas, o que se traduziu num crescimento aquém e num reduzido número de frutos”, justificou o dirigente.

"Nesta fase final, não temos água disponível por falta de infraestruturas de regadio, o que é importantíssimo para o crescimento dos frutos”, acrescentou, alertando que é uma prioridade executar o ‘Projeto Tejo’, com a criação de infraestruturas de transporte e retenção para o aproveitamento agrícola da água do rio Tejo.

As temperaturas altas dos últimos dias provocaram escaldão na fruta, agravando as quebras em 20% com fruta “sem aproveitamento comercial”.

Na campanha de 2022/2023, que agora termina, foram colhidas 123 mil toneladas de fruta e faturados cerca de 123 milhões de euros que, ainda assim, voltaram a resultar em prejuízo para o setor.

“Não conseguimos compensar em valor a quebra de produção, porque temos custos que não conseguimos refletir no preço de venda do produto”, explicou Filipe Ribeiro.

Nos últimos anos, mais de metade da produção foi exportada.

Brasil, Reino Unido, Marrocos, França e Alemanha continuam a ser os cinco principais mercados de destino desta fruta.

A ANP possui cinco mil produtores associados, com uma área de produção de 11 mil hectares.

Produzida (99%) nos concelhos entre Mafra e Leiria, sendo os de maior produção os do Cadaval e Bombarral, a pera rocha do Oeste possui Denominação de Origem Protegida, um reconhecimento da qualidade do fruto português por parte da União Europeia.

 

 

PUBLICIDADE



 




Programação do Centro de Artes de Águeda

 

Siga-nos nas redes sociais


[+] recentes Youtube ON Centro

















 

Shorts ON Centro @ Youtube

VER MAIS »»»

 

Partilhar

Últimos artigos


Sobre nós


Plataforma em rede de comunicação e divulgação

 
A ON CENTRO é uma rede digital de comunicação e valorização territorial, que visa promover a região Centro e informar junto do público nacional e estrangeiro.

Aceda aqui às notícias de Aveiro, Castelo Branco, Coimbra, Guarda, Leiria, Santarém e Viseu; e do resto do País.

Other languages


Contactos


Morada

Rua Simões de Castro, nº 170, 5º B 3000-387 Coimbra

Email
geral@on-centro.pt

Parcerias
Inês Vicente
oncentro.pt@gmail.com

Telefone (+351)
rede fixa nacional: 239 821 655
rede móvel: 933 075 555

 

 


Redes sociais


 


Newslettter

Subscreva a nossa newsletter para ficar a saber o que de importante acontece na região e no país.

Subscrever