fbpx
quarta-feira, 29 setembro 2021 18:39

Quercus alerta que 28% das áreas afetas à prospeção de lítio são áreas protegidas

Partilhar
Quercus alerta que 28% das áreas afetas à prospeção de lítio são áreas protegidas Foto © ON Centro

A DGEG colocou hoje em consulta pública o relatório de avaliação ambiental preliminar do Programa de Prospeção e Pesquisa de Lítio das oito potenciais áreas para lançamento de procedimento concursal, sendo que o período de consulta está disponível até ao dia 10 de novembro.

 

 

Aassociação ambientalista Quercus alertou esta quarta-feira, 29 de setembro, que 28% das áreas afetas à prospeção de lítio integram o sistema nacional de áreas protegidas e afirma que é uma “vergonha” o Governo insistir com o plano de exploração de lítio.

“É uma vergonha o Governo continuar a insistir com o plano de exploração de lítio. E, aqui na região [distrito de Castelo Branco] vamos lutar até às últimas consequências, com as populações”, afirmou à agência Lusa, Samuel Infante.

A Direção-Geral de Energia e Geologia (DGEG) colocou hoje em consulta pública o relatório de avaliação ambiental preliminar do Programa de Prospeção e Pesquisa de Lítio das oito potenciais áreas para lançamento de procedimento concursal, sendo que o período de consulta está disponível até ao dia 10 de novembro.

O relatório de avaliação ambiental preliminar do Programa de Prospeção e Pesquisa de Lítio identificou “alguns riscos” nas oito potenciais áreas do Norte e Centro do país, reconhecendo ainda assim ser uma oportunidade para a “descarbonização da economia”.

O ambientalista da Quercus realça que esta insistência do Governo “não faz qualquer sentido” e sublinha que “cerca de 28% das áreas afetas a prospeção estão no sistema nacional de áreas protegidas”.

“Estamos a falar de áreas que o Estado português se comprometeu a proteger e a salvaguardar e que tem valores únicos de conservação e de modelos de desenvolvimento”, sustenta.

No que diz respeito ao distrito de Castelo Branco, Samuel Infante refere que o programa envolve o Parque Natural da Serra da Estrela, a Serra da Gardunha, o Parque Natural do Tejo Internacional (PNTI) e o Geopark Naturtejo Geopark da Meseta Meridional (Geoparque Mundial da UNESCO).

“Estamos a falar de áreas com elevado valor em termos de conservação. A própria avaliação ambiental identifica estas áreas e identificou mais de 116 espécies com interesse conservacionista, ou seja, espécies que estão em perigo de extinção e que existem nestas áreas”, vincou.

O ambientalista reforça a ideia de que “não faz qualquer sentido” insistir neste tipo de “indústria pesada, destrutiva e contaminante, quando Portugal não é um ‘player’ significativo” nesta área.

“Todas as atividades têm impactos positivos e negativos. Mas, neste caso, claramente os negativos superam os possíveis benefícios económicos”, conclui.

 

 

PUBLICIDADE

 

 

 

Siga as notícias da Região Centro no FacebookInstagramTwitter e Youtube

    

 

 

Partilhar

Deixe um comentário

Últimos artigos

 

Facebook

em Arquivo


Sobre nós

A Rede ON CENTRO é uma rede de comunicação e valorização territorial, que visa promover a região Centro, junto do público nacional e estrangeiro.
Aqui poderá aceder a informação da maior região do país, composta pelos distritos de Aveiro, Castelo Branco, Coimbra, Guarda, Leiria e Viseu.

[Saber+]

 


Contactos

Morada:
Rua Simões de Castro, nº 170, 5º B 3000-387 Coimbra

Email:
geral@on-centro.pt
agenda@on-centro.pt

Telefone:
+351 239 821 655 | +351 933 075 555

 

 

Newsletter

Fique a par das novidades da região.

 

Subscrever


Redes Sociais

Other languages

ptzh-CNenfrdeitjakorues