fbpx
sábado, 06 novembro 2021 10:04

Convenção da Saúde quer entidade independente a avaliar gestão da pandemia

Escrito por
Partilhar
Convenção da Saúde quer entidade independente a avaliar gestão da pandemia Foto: OMS/ONU

Depois de salientar que a pandemia “ainda não acabou” e que existem várias incertezas sobre a sua evolução, Eurico Castro Alves considerou que esta entidade independente pode ser financiada por fundos públicos, mas “não pode ser nomeada pelo Governo”.

 

 

 

Opresidente da Convenção Nacional de Saúde (CNS) defendeu na sexta-feira, 6 de novembro, uma avaliação rigorosa e transparente da gestão da pandemia em Portugal por uma entidade técnica independente, que permita retirar lições do combate à covid-19.

“Uma avaliação, para ser credível e para ser útil, tem de ser bem feita, rigorosa e transparente. Se for feita por uma entidade independente, que se comprometa a fazê-la com todo o rigor e com toda a transparência, é mais bem aceite por todos os outros”, adiantou Eurico Castro Alves.

Segundo o médico, este tipo de avaliação já está a ser efetuada em países europeus, como a Suécia e o Reino Unido, para perceber o que “aconteceu de mau, o que se pode corrigir, o que se vai fazer melhor no futuro perante situações semelhantes” à da pandemia da covid-19.

“Um país que não se mede é um país que não se conhece a si próprio, diria mesmo que é um país irresponsável”, adiantou o presidente da CNS, uma plataforma que reúne perto de 170 entidades públicas, privadas e sociais ligadas a várias áreas de atividade da saúde.

Depois de salientar que a pandemia “ainda não acabou” e que existem várias incertezas sobre a sua evolução, Eurico Castro Alves considerou que esta entidade independente pode ser financiada por fundos públicos, mas “não pode ser nomeada pelo Governo”.

“Quando nós queremos avaliar o que aconteceu, verificar o que é que foi feito de errado, é sobretudo para melhorar as respostas do sistema, não é com intenção de crucificar ninguém”, assegurou o presidente da CNS.

No caso de Portugal, a CNS considera importante avaliar qual o impacto e a efetividade das medidas tomadas no controlo da pandemia na área da saúde.

Além disso, segundo este organismo, esta é também a altura para analisar quais as consequências do processo de gestão da covid-19 no acesso dos cidadãos aos cuidados de saúde e no grau de prontidão do sistema para responder às necessidades.

Outra das questões que a convenção considera necessário aferir tem a ver com o acompanhamento que está a ser feito às mais de um milhão de pessoas que foram infetadas e qual o plano para os próximos meses e anos, tendo em conta que se prevê que mais de 10% possam apresentar sequelas.

A CNS foi criada em abril de 2018, assumindo-se como uma “plataforma permanente de diálogo entre os parceiros da saúde e todos os cidadãos”, reunindo inúmeras entidades do setor público, privado e social que atuam neste setor em Portugal.

Do seu Conselho Superior fazem parte, entre outras entidades, diversas ordens profissionais, centros hospitalares, santas casas da misericórdia, assim como associações de doentes, de farmácia e da indústria farmacêutica, de investigação, de médicos de saúde pública, de administradores hospitalares e da hospitalização privada.

A covid-19 provocou pelo menos 5.028.536 mortes em todo o mundo, entre mais de 248,54 milhões infeções pelo novo coronavírus registadas desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e atualmente com variantes identificadas em vários países.

 

PUBLICIDADE

 

 

  

 

 

 

Siga as notícias da Região Centro no FacebookInstagramTwitter e Youtube

    

 

Partilhar

Itens relacionados

Mídia

Deixe um comentário

Últimos artigos

 

Facebook

em Arquivo


Sobre nós

A Rede ON CENTRO é uma rede de comunicação e valorização territorial, que visa promover a região Centro, junto do público nacional e estrangeiro.
Aqui poderá aceder a informação da maior região do país, composta pelos distritos de Aveiro, Castelo Branco, Coimbra, Guarda, Leiria e Viseu.

[Saber+]

 


Contactos

Morada:
Rua Simões de Castro, nº 170, 5º B 3000-387 Coimbra

Email:
geral@on-centro.pt
agenda@on-centro.pt

Telefone:
+351 239 821 655 | +351 933 075 555

 

 

Newsletter

Fique a par das novidades da região.

 

Subscrever


Redes Sociais

Other languages

ptzh-CNenfrdeitjakorues