fbpx

Oliveira de Azeméis: Candidatura do vidro a Património da UNESCO abre portas à Marinha Grande

O autarca oliveirense, que falava na abertura do seminário “História e Cultura do Vidro na Identidade de um Povo”, alargou o desafio da candidatura a património UNESCO ao município da Marinha Grande e ao ayuntamento espanhol de San Ildefonso que participaram no encontro internacional de investigadores.

 

Opresidente da Câmara de Oliveira de Azeméis, Joaquim Jorge, reafirmou o empenho do município em ver classificada a tradição vidreira local como património cultural da Unesco.

O autarca, que falava na abertura do seminário “História e Cultura do Vidro na Identidade de um Povo”, alargou este desafio ao município da Marinha Grande e ao ayuntamento espanhol de San Ildefonso, que participaram no encontro internacional de investigadores.

“Fica aqui o repto para que este projeto seja um desiderato comum e estaremos totalmente disponíveis para convosco levar a bom porto esta missão”, afirmou, lembrando que Oliveira de Azeméis e Marinha Grande têm uma “uma história e preocupações comuns em relação à importância da preservação deste legado histórico e sociocultural”.

O presidente da Câmara disse esperar que o seminário seja um “passo relevante” nos objetivos do projeto de candidatar a tradição vidreira oliveirense a património da Unesco.

Joaquim Jorge mostrou-se confiante no sucesso da candidatura por se tratar de “um projeto de todos os oliveirenses” embora o caminho seja “longo e de grande exigência”.

“Será difícil encontrar uma família oliveirense sem alguém ligado à tradição vidreira”, sustentou.

O presidente do executivo oliveirense realçou as vantagens do projeto ser reconhecido pela Unesco, nomeadamente para atrair visitantes e turistas, dando projeção ao município.

“Através desse reconhecimento e utilizando alguns equipamentos como o Berço Vidreiro e o Centro Interpretativo do Vidro queremos atrair visitantes e turistas. Oliveira de Azeméis, de forma sustentada, através da tradição vidreira e de outros meios socioculturais pretende criar condições ímpares de atratividade turística”, destacou.

Segundo explicou o autarca, o objetivo do projeto é aprofundar saberes e experiências sobre a história e a cultura do vidro compreendendo o passado para “melhor viver o presente e garantir o futuro”. A candidatura pretende salvaguardar uma tradição que teve, e ainda tem, importância no concelho salvaguardando o “saber fazer tradicional dos vidreiros que corre o risco de se perder”.

O presidente do município adiantou ainda como outro objetivo a transmissão às futuras gerações da tradição vidreira que, ao longo dos tempos, evoluiu para a indústria dos moldes, um setor atualmente de grande relevância económica para o concelho, o país e a Europa.

A primeira fábrica do vidro em Portugal (a fábrica do Côvo) nasceu no século XVI em Oliveira de Azeméis.

O seminário internacional sobre o vidro decorreu na Escola Superior de Saúde Norte da Cruz Vermelha Portuguesa e contou com a participação dos especialistas e investigadores oriundos de Espanha (Paloma Vinas), Itália (Teresa Medici) e Portugal (Fernando Rocha de Almeida, Jorge Carvalho, Teresa Almeida e Martinho Oliveira).

 

Acompanhe todas as novidades da Rede ON Centro no Facebook e Instagram

 

Deixe um comentário

Últimos artigos

Artigos recomendados

Artigos mais lidos

Instagram ON Centro

Facebook

Parceiros


Sobre nós

A Rede ON CENTRO é uma rede de comunicação e valorização territorial, que visa promover a região Centro, junto do público nacional e estrangeiro.
Aqui poderá aceder a informação da maior região do país, composta pelos distritos de Aveiro, Castelo Branco, Coimbra, Guarda, Leiria e Viseu.

[Saber+]

 


Contactos

Morada:
Rua Simões de Castro, nº 170, 5º B 3000-387 Coimbra

Email:
geral@on-centro.pt
agenda@on-centro.pt

Telefone:
+351 239 821 655 | +351 933 075 555

 

 

Newsletter

Fique a par das novidades da região.

 

Subscrever


Redes Sociais

Other languages

ptzh-CNenfrdeitjakorues